quarta-feira, 20 de julho de 2011

MÃE


Hoje lembrando-te mãezinha!
Vejo quanta doçura havia em teu olhar..
Quanta vivência, quanta sabedoria,
Despojava em jeito de amar.

Parecia ser tão frágil e delicada!
Mas bem sabia de tua fortaleza...
Trazia em teu seio amor de mãe,
O mais sublime e de grande beleza.

Sempre foi uma lutadora!
Por muitas dificuldades passou...
Mas nunca deixou que isso influenciasse;
Na vida daqueles a quem sempre amou.

Amor verdadeiro e sem interesse.
Sempre embalou dentro do coração...
Mãe você tinha a candura de um anjo;
E a serenidade de uma oração

Já estavas tão velhinha e cansada!
E isso angustiava meu ser...
Ficar sem sua presença serena...
Seria um constante sofrer.

Hoje sei bem como é isso...
O dia que eu mais temia chegou!
Você foi embora mãezinha,
Somente a saudade ficou.

Porém agora mais do que nunca,
Reconheço e exalto teu valor!
E todos os dias de minha vida serão poucos...
Para te agradecer tanto amor.

(Suely de Fátima Prado Barbosa)

Essa poesia foi escrita por minha irmã e foi dedicada à nossa querida mãezinha, que é a maior referência que tenho na vida. Ontem completaram dois anos da sua partida, e hoje posso dizer com toda certeza de que o amor continua intacto e as boas recordações são como jóias preciosas, valiosas em sua essência, que nos fazem sorrir mesmo com a grande saudade que sentimos.

Célia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Agradeço imensamente sua visita e seu comentário, são realmente muito importantes para mim. Seja sempre bem vindo! Beijinhos