quinta-feira, 18 de setembro de 2014

A Menina e a Árvore


E acolá havia uma árvore, que de certo, tinha muito mais idade do que a menina que ali estava. Esta árvore era doce, não doce como o mero açúcar, doce como pitanga madura. Tinha cheiro de vento de fim de tarde e rangia burburinhos de conforto.

A pequenina, entrelaçada entre seus galhos, deslumbrava-se com o aconchego do santuário, perguntando-se “poderia ela, um dia ser tão forte e ao mesmo tempo tão suave como aquela pitangueira? (...)”. Como se pode combinar tal força com tamanha doçura?

Poderia ela sentir-se tão segura, capaz de acolher e acalmar apenas com um simples toque? Seja lá, o que acontecera com aquela menina enquanto ela admirava as outras árvores em cima da sua pitangueira, naquele fim de tarde de quarta-feira, a partir do instante que ela tornou ao chão, estava decidida a ser um pouco mais doce como pitanga e mais firme como aquela árvore.

Andressa Guedes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Agradeço imensamente sua visita e seu comentário, são realmente muito importantes para mim. Seja sempre bem vindo! Beijinhos