segunda-feira, 2 de julho de 2012

Em concha


"Deitado ao meu lado, seus dedos deslizaram pelas minhas costas

abrindo fendas e poros, tecendo caminhos,amanhecendo desejos.
Afastou meus cabelos da nuca pra roçar o seu queixo.
Eu sentia a sua respiração no meu ouvido, seu sopro de vida entrando em mim.
Desajuizada e mansa, deixei que com um movimento de braço
levasse meu corpo em posição de feto pra dentro da concha do corpo dele.
Naquele encaixe, com o nosso melhor calor, ficamos ali,
desabotoando fomes, desamarrando sentimentos.
Meu coração estava na boca...pro beijo.

Ele não me acordou.
Ele entrou no meu sonho."


Marla de Queiroz

Um comentário:

  1. Bom dia pessoa.

    Passando p/ deixar aquele abraço e dizer que adoro esse espaço.

    ResponderExcluir

Olá! Agradeço imensamente sua visita e seu comentário, são realmente muito importantes para mim. Seja sempre bem vindo! Beijinhos